Blog

30 dez 2020

Quem é dono dos memes ?

Os memes estão em todos os lugares. Quem nunca viu o famoso meme da Nazaré confusa várias vezes e até mesmo sendo utilizado por empresas como maneira de atrair público? Ou a foto da Regina George, vilã do filme “Meninas Malvadas”, dentro de um conversível gritando “entra no carro, otária.” O fato é que todo mundo usa memes deliberadamente sem nem pensar neles direito. Mas, afinal, o meme tem dono?

Leia mais

O meme é um objeto complicado porque sua natureza é essencialmente ligada a não ser de ninguém e, ao mesmo tempo, ser de todo o mundo. O termo “meme” foi cunhado pelo etólogo Richard Dawkins por volta dos anos de 1970 para analisar fenômenos culturais como fenômenos biológicos. Por isso a sonoridade da palavra se parece tanto com “gene”. Segundo Dawkins, os memes seriam genes culturais e, para serem passados adiante, deveriam sofrer mutações para se adaptarem à sociedade.

A definição de meme mudou um pouquinho de lá pra cá, mas essa característica permanece. Não há nada que se mantenha por muito tempo na internet sem mudar um pouquinho, ainda mais quando as coisas envelhecem tão rápido por lá.

O fato é que o meme nasce da cultura do remix e da apropriação sem maiores preocupações. Lindo na teoria, né? Mas, na prática, não é bem assim que funciona. As imagens que compõem um meme são de alguém: alguém fotografou e alguém modelou. Os desenhos que foram apropriados por memes também não surgiram do nada.

O meme do cachorrinho tomando café enquanto sua casa pega fogo (This is Fine), por exemplo, concebido pelo quadrinista KC Green em 2013, não é conhecido pela sua autoria. A foto circulada na internet nem assinatura tem. Green está tranquilo em relação à veiculação de sua obra contanto que não façam o uso indevido dela: em casos como discriminação, ou venda imprópria da tirinha, ele aciona seu direito autoral.

Atualmente ele até tem uma loja online em que vende quadros e miniaturas do cachorrinho que ficou famoso na internet.

Outro exemplo é a moça do meme “3 Reais?”, a artesã Raquel Mota, que ficou muito conhecida após ter virado um quadro no programa de humor “Isso a Globo não mostra”. Raquel, após ver sua imagem veiculada em diversas propagandas e em lugares que ela não queria estar relacionada, sem sua autorização, pediu para que tirassem. Ela até mesmo alega que recebeu a resposta de que, como várias marcas já estavam usando a sua imagem sem autorização, não tinha problema algum utilizá-la novamente.

Para além dos frames da esquete, empresas começaram a utilizar fotos pessoais de Raquel e agora ela está movendo por volta de 100 processos contra o uso indevido de sua imagem.

Já no caso da Cabeleleila Leila e seu sobrinho neto Luís Cláudio já faziam certo sucesso antes mesmo do meme aparecer no programa “Sterblitch Não Tem um Talk Show: o Talk Show”. É que essa foto é uma imagem de estoque. Leila que, na verdade, se chama Joseane, é modelo há quatro anos e existem diversas fotos em bancos de imagens em que ela e seus filhos aparecem. Na vida real, ela é diarista e utiliza o dinheiro das fotos como renda complementar.

Beatrice Melo
Cursa estudos de mídia, adora memes, piadinhas sem graça e assistir desenho.

Deixar Um Comentário