Blog

03 jun 2020

Como enfrentar dificuldades

Por mais que você seja organizado e faça tudo certinho, como mandam os livros, você terá problemas. Seja na vida pessoal, profissional ou até empreendendo. E eles não acontecem por nenhuma razão em particular, C’est la vie. Os estadunidenses preferem um termo mais pejorativo: Shit happens.

Normalmente críticas negativas estão associadas a algum problema e isso tira o sono de qualquer pessoa, do empreendedor então, mais ainda.

Leia mais

Não é vergonha ter raiva ou querer sentar e chorar. Até querer o colo da Mãe é válido. Só que é justamente a forma como você vai resolvê-los que irá diferenciá-lo da concorrência ou de outras pessoas.

Alguns poderão ser evitados, outros monitorados e alguns ignorados. Você pode analisar seus processos e efetuar uma pequena gestão de riscos. Desde a falta de luz até a ausência de um produto/profissional e com base nessa análise criar uma tabela para classificar e organizar sua forma de atuar.

Por exemplo: Faltou luz. Na minha “tabela de riscos” existe essa situação, porém não há ação que eu possa fazer. Aceito esse risco. Investir num gerador é caríssimo e precariamente consigo operar sem luz.

Do ponto de vista pessoal enfrentar dificuldades é algo que todos nós fazemos diariamente e se você tem depressão, como eu por exemplo, qualquer pensamento em enfrentar dificuldades ou críticas já nos paralisa ou causa profunda raiva pela situação.

Recentemente uma cliente da minha loja, com quase 30 mil seguidores no Instagram, fez uma enquete sem mencionar o nome da loja, perguntando se as pessoas se arrependem de fazer as unhas no único lugar que estava disponível. Ao ver foto identifiquei de cara e mandei uma mensagem particular para a cliente.

Queria saber o que aconteceu, como poderia ajudá-la e de alguma forma compensá-la pelo imprevisto. Mesmo dizendo que quando não estamos no “nosso lugar de sempre” a frustração já é algo presente e temos a predisposição de não gostar. Ela me respondeu que não havia nada de errado, disse ser apenas uma enquete sem importância. Depois de espremer um pouco ela contou que ficou chateada porque a manicure interrompeu o serviço para atender a ligação do filho.

E mesmo após se dizer surpresa com minha atenção em perceber que era minha loja, por saber em que posição ela estava sentada, quem a atendeu e até em que horário foi, manteve a enquete gerando um barulho desnecessário.

Ao longo dos anos eu desenvolvi minha “técnica” para lidar com as dificuldades e críticas que poderiam me frustrar. Quando adolescente no futebol com amigos era o que se chama de “bad boy”. Arrumava confusão até com a minha sombra. Mas esse “espírito guerreiro” acabava após o jogo. Um dia arrumei confusão com um grande amigo – estávamos no mesmo time, quando o jogo acabou me sentei ao lado dele e comecei a conversar normalmente. Ele perguntou se eu era doido e respondi assim: Acabou o jogo, acabou o problema.

Percebi que a forma de lidar com problemas sempre esteve dentro de mim. Eles são apenas isso: problemas. Alguns vamos conseguir resolver, outros vamos ter que conviver.

Voltando à cliente da loja: Ela estava certa na reclamação dela e esse problema posso resolver. O fato dela ter tido uma atitude comigo e outra depois, não posso resolver. Vida que segue.

Thadeu Fayad
Head de Operações na All Integra

Deixar Um Comentário